fevereiro 01, 2013

Morte Súbita

Esqueça Harry Potter. Esqueça primeiro beijo aos 15 anos. Esqueça relacionamentos felizes e pueris. Dessa vez, J. K. Rowling escreve sobre um outro mundo: real, palpável, adulto. 
Morte Súbida não é nada inocente, como era HP, e talvez eu goste disso muito mais. Os conflitos, aqui, parecem muito mais verdadeiros. 

foto: tumblr.com
A história começa com a morte de Barry Fairbrother. Sua morte súbita afeta a vida dos moradores da pequena Pagford e desenterra velhos segredos. A trama gira em torno de vinte personagens, com histórias entrelaçadas a partir da morte de Fairbrother e o medo de sua memória. 
Fairbrother era um membro muito estimado do conselho distrital de Pagford e a vacância criada com sua morte gera desconfiança e rivalidades; o conselho divide-se em dois grupos: aqueles à favor de Fields e os contra Fields.
O primeiro grupo, liderado pelos amigos do morto, acredita que manter Fields junto a Pagford melhoraria e traria benefícios aos seus moradores, de maioria baixa renda, viciados e criminosos. O segundo grupo acredita que manter Fields mancharia a boa reputação do distrito, de boa moral e ética. 
O grupo que conseguir eleger um representante para o conselho, na certa ganhará essa disputa. Para complicar,  mensagens comprometedoras estão aparecendo no site do conselho, assinadas pelo "o fantasma de Barry Fairbrother", revirando com a vida e confiança dos candidatos à eleição. 
É interessante perceber que nenhum relacionamento é saudável. Cada núcleo têm os mais diversos e comuns dramas: é a esposa infeliz, a esposa submissa, a esposa devota; o marido agressivo, o marido mentalmente desequilibrado, o marido viciado em trabalhar; o filho rebelde, o filho oprimido...
E, se espera ainda uma J. K. Rowling recatada, esqueça também. Há sexo, palavrões e má conduta.
 J. K. rebelde. No entanto, a sua prosa está lá, magicamente escrita pra te fazer dormir tarde e perder a hora na manhã seguinte. 

5 comentários:

Anônimo disse...

As pessoas têm falado muito de Morte Súbita! Já eu nunca li nada da J. K. Rowling...

Jéssica Almeida disse...

Confesso que assustei um pouco com o começo do livro, quando vi todos aqueles palavrões soltos pela página. Mas precisei disso para entender que eu estava lidando com uma nova JK.
Gostei muito do livro e da sua resenha :)

Beijos
http://estoriasdacarter.blogspot.com.br/

Nina disse...

Embora eu não seja uma fã da autora (não acompanhei Harry Potter, por exemplo), a história desse livro me parece bem interessante. Essas convenções sociais como temática principal, algo bem debaixo dos panos, é o tipo de leitura que me agrada. Estou só esperando a moda passar para ver se encaro o Morte Súbita.
Abraços.

Helena disse...

hahahaha gente, SENSACIONAL essa imagem!

Cecília Santana disse...

Hahahah harry espantado com tantos palavrões!